Com Temer, o desemprego segue batendo recordes, denuncia Humberto

Foto:Divulgação                     

O crescimento do desemprego no Brasil no primeiro trimestre deste ano levou o líder da Oposição, Humberto Costa (PT), a fazer novas críticas ao governo de Michel Temer (PMDB). De acordo com os dados do IBGE, a desocupação chegou a 13,6% nos três primeiros meses.  Ao todo, 14 milhões de pessoas estão à procura de trabalho no País, um crescimento de 8,7 % em comparação aos três meses anteriores.

“O governo Temer conseguiu bater todos os recordes de desemprego no Brasil. É, sem dúvida, uma grande façanha para quem chegou ao poder dizendo que ia fazer um governo de salvação nacional. A única preocupação dele neste momento é salvar a própria pele, já que cada dia os nomes dele e de seus comparsas aparecem em um novo escândalo de corrupção”, ironizou Humberto.

O senador também rebateu as declarações de Temer sobre o “renascimento da economia”, dadas após a divulgação de dados do crescimento de 1% do PIB no primeiro trimestre do ano. “Não há motivos para celebrar dados, enquanto existem 14 milhões de pessoas desempregadas no Brasil. O governo maquia informações e quer vender uma coisa que não existe. Até o próprio IBGE pediu cautela ao governo”, afirmou o senador lembrando que, em relação ao mesmo trimestre do ano passado, o PIB encolheu 0,4%, o 12º recuo seguido. No acumulado de quatro trimestres, a economia encolheu 2,3%.

Para Humberto, a recuperação sólida do País só poderá ser feita com a escolha de um presidente por meio de eleições diretas. “O governo Temer está se segurando nas cordas e periga cair a qualquer momento em meio a tantas denúncias de corrupção. É fruto de um golpe e não possui nenhuma legitimidade, assim como o grupo dentro do Congresso Nacional que o sustenta. E é essa patota que poderá escolher um novo nome para comandar o País, em caso de eleições indiretas. Por isso, é necessário convocar o povo a decidir no voto um novo nome para colocar o Brasil de volta no eixo de desenvolvimento”, afirmou Humberto.

Postar um comentário

0 Comentários