Humberto diz que cortes no orçamento prejudicam o funcionamento das universidades federais

Preocupado com o bom funcionamento das universidades federais no governo de Michel Temer (MDB), o líder da Oposição, Humberto Costa (PT), criticou os cortes de recursos que vêm sofrendo as instituições. Segundo dados do Ministério da Educação, as unidades de ensino universitário tiveram, em 2017, o menor repasse de verbas em sete anos. Os cortes já afetam o incentivo à pesquisa, a contratação de funcionários e o fornecimento de bolsas aos estudantes.

Cerca de 90% das instituições já operam com perdas reais e o valor repassado para as universidades é menor que o recebido em 2013. A redução chega a cerca de 30%. De acordo com o senador, ação do governo de Michel Temer vai de encontro à política de ampliação do ensino universitário federal promovida pelos governos do PT de Lula e Dilma.

“Lula e Dilma fizeram o maior programa de expansão de universidades federais da história desse país, que englobou desde a criação de novas universidades como também a ampliação dos campi. Mas, desde que assumiu, o governo golpista de Michel Temer vem retrocedendo e desconstruindo todas as políticas públicas da área. Não é à toa que o deputado federal Mendonça Filho, que foi ministro da pasta no governo Temer ficou conhecido como 'ministro mãos de tesoura', exatamente por implementar esse desmonte, com cortes no Fies, ProUni, Ciência Sem Fronteiras, entre outros”, afirmou.

Humberto também questionou a competência do MEC na execução dos recursos. Nos primeiros quatro meses deste ano, o ministério deixou de investir R$ 900 milhões na área. “É um governo retrógrado e incompetente porque até mesmo o pouco orçamento que destina para a educação não executa, deixando nessa situação de penúria as universidades federais”, pontuou o senador. 

Postar um comentário

0 Comentários