Selecione Menu

Slider

Performance

My Place

Cute

Racing

PROGRAMA A VOZ DO POVO

Videos

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) acusou, nesta quinta-feira (8) o Governo do Estado de não haver se preparado adequadamente para enfrentar a Seca em Pernambuco, considerada a pior dos últimos 60 anos. Em discurso no plenário do Senado, enfatizou que “faltaram pró-atividade e capacidade de antecipação ao quadro de colapso” provocado pela estiagem, sobretudo no Agreste.
 
Segundo Armando, o governo estadual ignorou os alertas de especialistas que, ainda em 2012, apontavam que estava se avizinhando um período de seca mais severa do que no biênio 1983-84. Disse que, apesar do alto grau de vulnerabilidade do Agreste a estiagens, pela alta densidade demográfica e pela natureza das suas atividades produtivas e inexistência de reservas subterrâneas, somente agora, depois dos efeitos econômicos e sociais “devastadores” da seca, o governo local está tomando providências e com resultados apenas a partir do próximo ano.
 
“O Governo do Estado tinha alternativas. Ou se prepararia para assumir, com aportes de recursos, a obra da Adutora do Agreste e assim contribuiria para sua conclusão, ou buscaria outras opções, que somente agora estão sendo providenciadas, em caráter emergencial, depois de se constatar a crise de abastecimento d´água e de se assistir a graves perdas econômicas”, assinalou.
 
O senador petebista salientou que ficará apenas para 2017 a conclusão de obras como a Adutora do Pirangi, financiada pelo Banco Mundial, a perfuração de poços profundos em Tupanatinga e a construção do sistema Adutor do Moxotó, que dependem de recursos do governo federal,  cuja liberação anunciou que irá cobrar. “Até lá, infelizmente, o sofrimento da população continuará, como admitiu o presidente da Compesa, Roberto Tavares”, acrescentou.  
 
Perdas dramáticas -  Armando Monteiro listou, no seu discurso, algumas das perdas econômicas provocadas pela seca, que classificou como “dramáticas”, especialmente no Agreste:

  • queda de 9,2% no PIB da agropecuária no primeiro semestre, comparativamente a igual período de 2015;
  • redução de 25% na produtividade da bacia leiteira, que caiu de 2,5 milhões para 1,4 milhão de litros diários de leite, enquanto a produção de queijo diminuiu para menos da metade, de 40 mil quilos/dia para 18 mil;
  • fechamento de 40% das lavanderias usadas na produção de jeans do polo de confecções, cuja produção, de 720 milhões de peças em 2015, cairá em 20 milhões de peças este ano, pela escassez de água;
  • desativação de vários aviários, cuja atividade necessita de 700 carros pipa diariamente;
  • nada menos do que 25 dos 71 municípios do Agreste dependem exclusivamente, para acesso à água, de carros pipa,  cujo preço dobrou, pulando de R$ 150 para R$ 300 cada.
Assessoria de Comunicação
-
© Agência Brasil
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), comemorou a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) desta quarta-feira (7) de mantê-lo no cargo, chamando-a de "patriótica".
Os ministros rejeitaram, por 6 votos a 3, liminar do colega Marco Aurélio Mello de segunda (5), que tirava Renan da Presidência do Senado sob a justificativa de que ele, na condição de réu, não está apto a ocupar a linha sucessória.
Os ministros decidiram nesta quarta que ele se mantém no comando do Senado até fevereiro de 2017, quando outro senador será eleito, mas não poderá ocupar a presidência da República. De acordo com a Constituição, o presidente do Senado é o segundo na linha sucessória.
O senador acompanhou o julgamento, que teve início pouco depois das 14h, no gabinete da Presidência do Senado acompanhado de senadores de diversas legendas. Uma hora e vinte após a decisão, deixou a Casa acompanhado apenas por policiais legislativos e seguiu para a residência oficial.
Antes, porém, divulgou por meio da sua assessoria de imprensa uma nota oficial elaborada com a ajuda dos mesmos aliados que estiveram ao seu lados nos últimos dias e com quem assistiu à sessão do Supremo.
"É com humildade que o Senado Federal recebe e aplaude a patriótica decisão do Supremo Tribunal Federal", afirmou o senador.
Estiveram com ele, entre outros, o governador de Alagoas, seu filho, Renan Filho (PMDB), e os senadores peemedebista Romero Jucá (RR), Eunício Oliveira (CE), Rose de Freitas (ES), além do primeiro-vice-presidente da Casa, Jorge Viana (PT-AC), que assumiria o cargo caso Renan tivesse sido afastado em definitivo pelo STF.
Veja a nota do presidente do Senado:
"É com humildade que o Senado Federal recebe e aplaude a patriótica decisão do Supremo Tribunal Federal. A confiança na Justiça Brasileira e na separação dos poderes continua inabalada.

O que passou não volta mais. Ultrapassamos, todos nós, Legislativo, Executivo e Judiciário, outra etapa da democracia com equilíbrio, responsabilidade e determinação para conquista de melhores dias para sociedade brasileira." Com informações da Folhapress.
-
© REUTERS/Stefano Rellandini
Após o adiamento por alguns dias, o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, entregou nesta quarta-feira (7) seu pedido formal de renúncia ao presidente Sergio Mattarella. Os dois líderes se reuniram por cerca de 45 minutos na sede do governo italiano em Roma.   
Segundo o secretário-geral da Quirinale, Ugo Zampetti, as consultas da Presidência para a formação do novo governo italiano serão iniciadas amanhã (8), a partir das 18h (15h no horário de Brasília). Esse é o primeiro passo formal de Mattarella para a tentativa de formar um novo governo e não convocar eleições diretas rapidamente.    
A renúncia: O primeiro-ministro decidiu renunciar após a população rejeitar, por um placar de 60% a 40%, sua reforma constitucional no referendo do último domingo (4). Renzi apostou todo o seu capital político no projeto, que reduzia o tamanho do Senado e promovia uma série de mudanças na Constituição italiana. Na segunda-feira (5), o premier reuniu seu gabinete no Palácio Chigi, também em Roma, e agradeceu a seus ministros "pela colaboração e pelo espírito de equipe demonstrado nesses anos de governo. Em seguida, como manda o protocolo, se dirigiu ao Quirinale para entregar a carta de renúncia. No entanto, após um pedido de Mattarella, Renzi permaneceu no cargo para que o fosse aprovada a lei orçamentária para 2017 no Senado. Caso não houvesse aprovação até o fim deste ano, ela deixaria a Itália estagnada e sem poder fazer os gastos necessários do governo.   
O projeto, então, foi submetido ao chamado "voto de confiança", que faz com que o texto seja aprovado da maneira que foi apresentado, sem a possibilidade de adicionar emendas ou retirar partes da lei. Com isso, ele foi aprovado na manhã de hoje por 173 votos a favor e 108 contra. Mais tarde, ao presidir pela última vez a reunião de sua sigla, o Partido Democrático (PD), como premier italiano, Renzi propôs duas soluções para o período pós-renúncia: ou fazer um governo "de responsabilidade" nacional com representantes de todas as forças políticas ou convocar novas eleições rapidamente.   
"Somos o partido que tem a maioria. Precisamos dar uma mão ao presidente da República a encerrar a crise [do governo] na modalidade que ele escolherá", disse ainda aos membros do PD.   

Nos casos de renúncia de um premier, a decisão final é sempre do presidente da República, que pode aceitar o pedido e iniciar consultas para formar um novo governo, dissolver o Parlamento e convocar eleições ou até mesmo manter o premier para um gabinete de objetivo definido. (ANSA)
© Reuters
O juiz federal Sérgio Moro foi premiado, na noite desta terça-feira (6), no evento “Brasileiros do Ano”, promovido pela revista “Isto É”, da editora Três. O responsável pelas investigações da Operação Lava Jato venceu na categoria “Justiça”. A festa aconteceu em São Paulo.
De acordo com o UOL, Moro foi ovacionado pelo público e ofuscou outros premiados, como a atriz Grazi Massafera e a cantora Ludmilla. O juiz foi recebido no evento como um “popstar”.
Estiveram presentes também o presidente Michel Temer (PMDB), eleito o “Brasileiro do Ano”, e os ministros Henrique Meirelles (Fazenda), José Serra (Relações Exteriores, PSDB), Alexandre de Moraes (Justiça) e Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, PSD), entre outros. O senador Aécio Neves também foi um que compareceu.
Moro foi bastante aplaudido na cerimônia, exceto por convidados como Serra e Kassab.
Esses foram os vencedores do prêmio Brasileiros do Ano de 2016, da “Isto É”
MICHEL TEMER – Brasileiro do Ano
SÉRGIO MORO – Justiça
GRAZI MASSAFERA – Televisão
ISAQUIAS QUEIROZ – Esporte
ANTONIO FAGUNDES – Teatro
EDUARDO PAES – Gestão
JOÃO DORIA – Revelação na Política
LAÍS RIBEIRO – Moda
RICARDO BOECHAT – Comunicação
LUDMILLA – Música

BENEDITO RUY BARBOSA – Cultura
-
© Ueslei Marcelino / Reuters
.Para manter o senador Renan Calheiros na presidência da Casa e garantir a votação da PEC do teto dos gastos, interlocutores do presidente Michel Temer negociam para que na sessão do Supremo Tribunal Federal (STF), desta quarta-feira (7), seja alterado o rumo da votação do processo que determina que um réu ocupe cargos na linha sucessória do presidente da República. As informações foram divulgadas pela Folha de S. Paulo.
O julgamento foi interrompido por conta de um pedido de vistas do ministro Dias Toffoli, mas a maioria já se mostrava a favor do afastamento de pessoas nessas condições.
A estratégia da equipe de Temer é convencer alguns dos ministros a mudarem os seus votos, tirando réus da linha sucessória da presidência, mas não afastando-os do cargo.
Contudo, o governo não assume publicamente que vai interferir no processo, mas está negociando nos bastidores. 
De acordo com o jornal, a ministra da AGU (Advocacia-Geral da União), Gracie Mendonça, ficou responsável por verificar o posicionamento dos ministros da Suprema Corte em relação ao julgamento que decidirá o destino de Renan.

Noticia ao Minuto
-
Foto/Assessoria de Imprensa
O deputado estadual Romário Dias (PSD) está intermediando um encontro dos servidores da Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe) com o Governo do Estado e parlamentares para encerrar a paralisação do órgão, que já dura quase 50 dias e prejudica mais de 350 micro e pequenos empresários pernambucanos. Dias propôs que o presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa, deputado Aluísio Lessa (PSB) convoque, para a reunião da próxima semana, representantes das secretarias de Administração e Micro e Pequena Empresa.

“Me comprometo com Vossa Excelência a trazer para a reunião uma comissão de sevidores e alguns empresários. Precisamos encontrar o eixo e resolver esse assunto. Não tem mais como a Junta Comercial continuar fechada. As empresas estão sofrendo muito. As coisas estão num processo de calamidade”, ressaltou durante pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta (07).

Segundo Dias, “os servidores estão acumulando as negociações salariais de 2015 e 2016. Precisamos atuar para este impasse acabar. É preciso uma conversa, antes de tudo. O diálogo é essencial e apenas por meio dele será possível ajudar o crescimento e a economia do Estado”.

Ainda durante o pronunciamento, o deputado ressaltou que os servidores da Jucepe reclamam que só encontram as portas fechadas ao tentar negociar com o governo. “Falei com os secretários da Casa Civil (Antonio Figueira) e da Micro e Pequena Empresa (Alexandre Valença), mas só quem resolve é o secretário de Administração (Milton Coelho). Tentei ligar para ele por diversas vezes, mas nem a mim ele atendeu”, revelou, para continuar: “Nós temos, hoje, 11 mil processos pendentes no órgão. É muito importante que a Junta Comercial volta a funcionar. O pequeno e médio empreendedor de Pernambuco é responsável por 26% do PIB.



GREVE

Os quase 50 dias de paralisação da Jucepe incluem a greve, decretada no dia 28 de novembro, e diversas manifestações, como suspensão dos serviços por 24h e 48h e “operação tartaruga”, com redução do percentual de procedimentos analisados. Além do reajuste salarial, os servidores reivindicam a reestruturação das carreiras de analista, assistente e auxiliar de registro do comércio.

“É importante ressaltar que a Jucepe tem receita própria, inclusive com superávit de R$ 10 milhões neste ano de 2016. Porém, a remuneração de seus servidores está bem aquém da maioria das autarquias (pouco mais de R$ 1 mil para os técnicos e R$ 2 mil para os analistas)”, concluiu Romário Dias.

-
 Foto: reprodução Facebook / Internacional
A Diretoria de Competições da CBF confirmou alteração na data e horário do confronto entre Corinthians x Internacional pela Copa do Brasil Sub-20. Inicialmente previsto para quarta-feira (19) às 16h, o confronto passa a ser no dia seguinte, quinta-feira (20), às 21h. 
O local da partida está mantido na Arena Barueri, em Barueri (SP). As alterações foram solicitadas pela Rede Globo de Televisão para atender a grade de programação do canal Sportv.
Confira as mudanças abaixo e para mais detalhes, veja o documento em anexo:
Corinthians-SP x Internacional-RS
De: 19/10, quarta-feira, às 16h
Para: 20/10, quinta-feira, às 21h
Local: Arena Barueri, em Barueri-SP 
-
Saiu o primeiro semifinalista da Série C do Campeonato Brasileiro. Nesta sexta-feira (7), o ABC avançou de fase ao bater o Botafogo-SP por 1 a 0 em Natal. Após o empate sem gols no jogo de ida, em Ribeirão Preto (SP), o time abecedista levou a melhor para cima dos paulistas e alcançou a classificação. De quebra, o Alvinegro Potiguar se garantiu na próxima edição da Série B.
Diante de um Frasqueirão lotado, ABC e Botafogo-SP fizeram um primeiro tempo com muita luta e poucas chances de gols. Após o empate sem gols no jogo de ida, as duas equipes precisavam balançar as redes para alcançar a classificação no tempo regulamentar. O placar, porém, terminou inalterado na etapa inicial.
Com Nando, do ABC, e Filipe, do Botafogo-SP, expulsos, devido à confusão antes do da ida ao vestiário, as equipes voltaram para o segundo tempo com 10 jogadores cada. O placar foi inaugurado aos nove minutos com Erivélton. O meia aproveita lançamento e, na saída de Neneca, coloca os donos da casa na frente do marcador. O Bota respondeu aos 13, mas Edson fez grande defesa em chute de Serginho. O goleiro estava inspirado e também evitou o gol de Tiago Marques, aos 17. Com o ABC segurando a vantagem até o fim, a torcida potiguar fez a festa.
Os outros três semifinalista saem no final de semana. No sábado (8), às 18h30, Guarani e ASA decidem a vaga no Brinco de Ouro, em Campinas (SP). No domingo (9), o Boa recebe o Botafogo-PB às 11h, em Varginha (MG), e o Fortaleza pega o Juventude às 19h, na Arena Castelão.
Fonte:CBF
-
No dia do centésimo jogo do alvirrubro na Arena de Pernambuco e do jogo cem do lateral-esquerdo Gastón pelo Timbu, o Náutico mais uma vez fez seu torcedor pular de alegria, nesta sexta-feira (7). Afinal, com gols de Bergson aos 44 minutos, do primeiro tempo, e após chute de de Rony que terminou desviando em Marcão, aos 37, do segundo, time bateu o Brasil de Pelotas por 2x0, conquistando a sua quinta vitória seguida no Brasileiro da Série B. Resultado que levou o Náutico ao terceiro lugar da competição, com 48 pontos. A trigésima rodada, porém, terá seu complemento neste sábado (8). 

O jogo começou equilibrado com muita marcação de ambos os lados de campo. Pelo lado timbu Marco Antônio e Vinícius tentavam criar as jogadas e encostar-se ao ataque. Mas, bem postado em campo, o Brasil conseguia anular as principais investidas do Náutico.

Tanto que o primeiro bom lance do Alvirrubro só aconteceu, aos 15 minutos. Bergson fez jogada pela direita e tocou para Vinícius que foi derrubado na entrada da área. Marco Antônio cobrou e a bola bateu na barreira. No rebote, o próprio Marco Antônio mandou para longe do gol. 

Mesmo timidamente, o Náutico voltou a ameaçar a meta do goleiro Eduardo Martini, aos 22 minutos. Vinícius chegou bem pela direita e cruzou. Por pouco Bergson não chega para abrir o placar. Dois minutos depois, Vinícius arriscou de longe e por pouco não surpreende o goleiro Eduardo Martini.

Com o adversário limitando-se à marcação e apenas chegando com bolas alçadas para a área, os lances eram raros. Melhor, o Timbu teve mais uma chance após cobrança de falta de Marco Antônio, aos 37. Rafael Pereira cabeceou para o meio e Eduardo Martini evitou o pior.

Apesar do jogo até certo ponto “morno”, Rafael Pereira cabeceou para o meio e Eduardo Martini evitou o gol. Quando o primeiro tempo se encaminhava para terminar 0x0, o volante Washington do Brasil chutou a cabeça de Marco Antônio e foi expulso. Logo em seguida, aos 44, Marco Antônio lançou Bergson, que dominou nas costas do zagueiro e tocou no canto esquerdo de Eduardo Martini: 1x0.

No segundo tempo, o Náutico voltou com Renan Oliveira em lugar de Rodrigo Souza, que sentiu um desconforto muscular. Com um a mais, o Timbu seguiu mandando no jogo em termos ofensivos. Aos 9, Rony cruzou e a bola sobrou para Bergson, que quase marca o segundo.

Não demorou e, aos 15, Rony cruzou, mas Vinícius chegou atrasado no lance. A resposta veio aos 18 em chute de Felipe Garcia. Julio Cesar fez defesa de pagar ingresso. Aos 21, Marco Antônio saiu para a entrada de Eurico para fechar um pouco mais a marcação. 

Aos 37, a alegria aumentou quando Rony puxou contra-ataque e bateu para o gol. Marcão tentou desviar e a bola morreu no fundo do gol: 2x0. 

Márcio Cruz/Comunicação Náutico
-
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, vai processar os resultados dos institutos federais no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 e divulgar nova lista até o próximo dia 30.
O Inep reconheceu que houve um equívoco na interpretação da legislação, por parte da equipe técnica que fez os cálculos para a divulgação dos resultados do Enem 2015 por Escola, e por isso os institutos federais não foram incluídos nos resultados anunciados pela presidente do instituto, Maria Inês Fini, nesta terça-feira, 4, em Brasília.
Assessoria de Comunicação Social 
-